Qual o seu
problema?
11 98777-0621
Qual o seu problema?

De seg. à sex. das 9h às 19h
Sábado das 9h às 13h.

FUE (Folicular Unit Extraction)

É uma técnica de retirada dos cabelos da área doadora unidade folicular por unidade folicular, sem a retirada de faixa e sem a existência de cicatriz linear. As unidades foliculares são retiradas através da utilização de um pequeno “punch”, que pode ter de 0,7 a 0,9 mm de diâmetro. Esses pequenos orifícios criados cicatrizam rapidamente.

Ela está indicada para pacientes que raspam os cabelos ou os utilizam bem curtos, ou para aqueles que já realizaram outros procedimentos prévios e não têm tanta elasticidade no couro cabeludo. Também pode ser indicada para um quadro inicial de calvície, em que não há a necessidade de se implantar muitos fios.

Trata-se de modalidade que apresenta restrições aos pacientes de cabelos encaracolados pela maior taxa de transecção dos fios. Utilizamos na Clínica Bloch aparelhos automatizados que aceleram o processo de retirada das unidades foliculares.

FUE (Folicular Unit Extraction) FUE (Folicular Unit Extraction) FUE (Folicular Unit Extraction)

Vantagens e indicações do método FUE:

- Ausência de cicatriz linear e recuperação mais rápida no pós-operatório;
- Para a correção de cicatrizes alargadas no couro cabeludo;
- Baixa elasticidade isolada ou associada a sessões prévias de transplante capilar – técnica tradicional (FUT);
- Aversão a cicatrizes;
- Uso de corte muito curto;
- Para testes em pacientes com Alopecias Cicatriciais;
- Transplante de barba ou bigode;
- Para uma cirurgia de complementação de técnica tradicional prévia, em que há a necessidade de menor número de fios.

Desvantagens e limitações do método FUE:

- Necessidade de raspar os fios na área doadora;
- São implantados menos fios por sessão;
- Cirurgia mais trabalhosa e demorada: são necessárias mais sessões para se colocar o mesmo número de fios, ou seja, o custo total por fio é maior;
- Maior taxa de transecção de fios, ou seja, há perda de fios (cerca de 15 a 20% das unidades foliculares retiradas). Dependendo do local onde a raiz foi cortada, o cabelo pode não voltar a crescer;
- Não pode ser realizada em todos os tipos de cabelos: quanto mais afastadas forem as raízes dos fios, o que ocorre com os cabelos mais crespos maior a chance de lesão desses fios, que não serão aproveitados pra a cirurgia;
- Há perda de densidade no local da retirada e podem ficar pequenas cicatrizes hipocrômicas nesses locais.

Concluindo: A indicação da técnica FUE deve ser feita em conjunto com o médico-cirurgião para se chegar ao melhor resultado possível. As duas técnicas podem ser corretas, desde que bem indicadas.

FUE (Folicular Unit Extraction)

FUE Robótica:

Recentemente chegou ao Brasil a tecnologia robótica de extração de unidades foliculares, que permite que a retirada das unidades foliculares da área doadora seja realizada em 2 horas em vez das 3-4 horas tradicionais com equipamento automatizado.

A implantação dos cabelos, porém, continua dependendo da arte e técnica do cirurgião bem como o número de fios transplantados, que não se altera. Toda inovação é bem-vinda e estamos realizando os treinamentos para a utilização dessa nova técnica, porém os custos ainda são elevados para a sua utilização.

A técnica híbrida ou combinada é uma associação das técnicas de transplante convencional (FUT) e (FUE) no mesmo tempo cirúrgico. assim, se consegue implantar um número maior de fios em uma única sessão, diminuindo o número de sessões que posam vir a ser necessárias ao longo da vida. A técnica convencional isolada permite um rendimento maior de folículos do que a técnica FUE isolada, mas alguns pacientes com grau de calvície mais evoluído se beneficiam de um procedimento único, realizado no mesmo dia, e com até 30% a mais de número de fios.

Newsletter

Receba novidades e atualizações da Clínica Bloch:

ISHRS
North American Hair Research
Associação Brasileira de Cirurgia da Restauração Capilar
Universidade de São Paulo
Dermatologia USP
Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica
Sociedade Brasileira de Dermatologia
Voltar para o topo